Estudar e Trabalhar no Exterior

Estudar e Trabalhar no Exterior Aprimorar o idioma e auxiliar com os custos do dia a dia

Imagine fazer um intercâmbio e ter a possibilidade de estudar e trabalhar no exterior? A Global Study te ajuda a realizar esse sonho. Alguns países permitem que estudantes brasileiros trabalhem durante o período de estudos. Cada país tem suas regras específicas.

Trabalhar no exterior é uma forma de aprimorar o idioma e conviver com diferentes pessoas, o que ajuda no amadurecimento profissional e pessoal. Além de auxiliar com os custos do período fora do país. Uma forma de tornar o intercâmbio possível e permitir mais tempo no país de destino. Bom, né!? Então confira as regras de cada país:

Austrália

Para estudantes matriculados em curso com duração mínima de 14 semanas e carga horária de pelo menos 20 horas por semana, o visto de estudante já sai com a permissão de trabalho.

Com isso, é possível trabalhar até 40 horas a cada 2 semanas durante o período de aulas e período integral durante as férias – que são de 4 semanas.

Se o estudante viajar com esposa (o) ou filha (o), os familiares maiores de 18 anos também recebem uma autorização de trabalho. As regras são as mesmas aplicadas ao estudante.

Saber mais sobre a Austrália.

Irlanda

Estudantes matriculados em cursos de inglês com no mínimo 25 semanas de aula e carga horária mínima de 15 horas semanais, podem trabalhar por até 20 horas por semana no período de aulas e até 40 horas semanais durante o periodo de férias, desde que as férias coincidam com o meses de Maio, Junho, Julho, Agosto (verão europeu) ou com o período entre 15 de dezembro e 15 de janeiro.

Saber mais sobre Irlanda.

Canadá

Somente alunos matriculados em cursos técnicos, superior ou pós graduação por período mínimo de um ano, podem trabalhar 20 horas semanais durante o período de aula e 40 horas por semana durante o período de férias. Já para o estudantes de idiomas não é permitido trabalhar.

Saiba mais sobre Canadá.

Nova Zelândia

Se você vai estudar por um período maior que 14 semanas, você poderá trabalhar por até 20 horas semanais durante o período de aulas.

Durante as férias, o aluno pode trabalhar em período integral, mas para ter esse direito é necessário estar matriculado em um curso de duração superior a 12 meses.

Por ser um país turístico, há ofertas de trabalho o ano todo. No verão, a demanda cresce dentro do setor hoteleiro.

Os trabalhos mais comuns na Nova Zelândia são: recepcionista, garçom, babá, faxineira, ajudante de cozinha, preparador de sanduíches, entregador e atendente de lojas.

Saber mais sobre Nova Zelândia.

Inglaterra

Estudantes de inglês na Inglaterra não tem permissão de trabalho, independente da duração do curso.

Caso você busque cursos de graduação, pós-graduação, MBA ou doutorado, terá permissão para trabalhar por até 20 horas semanais.

Saiba mais sobre Inglaterra.

Dubai

A solicitação do visto para os Emirados Árabes é feita de uma forma bem diferente da que estamos habituados.

Com a matrícula é iniciado o processo de permissão de entrada no país e a escola de inglês é quem concede o visto e tem o papel de sponsor ou patrocinador. Segundo o consulado, os patrocinadores ficam responsáveis pelos visitantes.

Para os vistos de curta permanência é exigido o depósito reembolsável de $ 275. Agora, se a intenção for ficar no país por um ano, o aluno deve adquirir o ID com o tempo do visto. Em Dubai, também é possível trabalhar com o visto de estudante.

Saiba mais sobre Dubai.

Detalhes

Duração

A partir de 14 semanas

Idade mínima

18 anos

Hospedagem

Casa de Família ou Residência Estudantil

Nível de Idioma

Iniciante, Intermediário ou Avançado
Solicite um orçamento

Escolas para este curso